Todos os posts em: Relacionamentos

Aprenda a identificar se formar família NÃO é a sua praia

Este texto tem um tom um pouco bravo e não estou me dirigindo à pessoas que não querem ter filhos, que não querem ter um relacionamento sério ou duradouro… é pra gente que faz com que a outra pessoa acredite que quer, quando na verdade não quer (ou que ainda não percebeu que NÃO quer)!!! Este texto é para os vampiros de energia e boas intenções, para os aventureiros que fazem turismo com a vida de gente de bem, que usam as pessoas pra atender suas necessidades. E portanto, é pra essa gente o tom que estou usando no texto! Na real, este é um texto pra tentar fazer com que as pessoas identifiquem suas tribos reais. Porque gente que se enfia na tribo errada, além de se embananar depois, também embanana a vida dos outros. Portanto aqui vai um guia reverso pra você que não quer formar uma família. Porque pra formar família, primeiro de tudo: você precisa de um par. E pra isso você precisa entender que não vai encontrar um gêmeo seu, …

Como superar uma separação

Eu sei que você está sofrendo porque achava que seu casamento seria pra vida toda. E provavelmente tinha sonhos como os meus, de envelhecer juntos, superar todo o tipo de problema juntos, de fazer projetos juntos. Isso é coisa de quem tem aptidão pra acreditar em família, em união pra sempre, em uma escolha pra vida toda. E nem dá pra tentar resumir tudo o que se sente nessa hora ou tentar explicar, porque é uma mistura de coisas, de sentimentos variados e tentar entendê-los é outra coisa que toma tempo e cansa. Você está se sentindo fracassada, está pensando onde errou, onde poderia ter feito melhor. E pode ser que se dê conta que deu o melhor de si, que foi inteira em tudo, que foi leal, fiel, parceira, honesta, sincera – transparente. Dependendo do que aconteceu você vai sentir raiva, no meu caso: acreditei em tudo o que me foi dito, todos os dias, todas as horas, sempre acreditava no que me era dito como uma verdade. Até que de uma hora pra …

Como lidar com a solidão?

Quantas bobagens você já fez na vida, que tenham sido frutos de não saber lidar com a solidão e com a carência? Eu já fiz algumas! Me envolver com gente errada; Ficar com um cara por quem eu não sentia nada (ou não o mesmo que ele); Recorrer à ex-namorado e uma relação que eu sabia que não ia dar em nada. Isso pra falar de relacionamentos amorosos. Mas estas bobagens podem alcançar âmbitos e esferas muito maiores, mais graves. E tudo porque a gente não consegue, de modo geral, lidar com a solidão. Relacionamentos infelizes e forçosos são nutridos, porque as pessoas têm medo de romper um relacionamento e ficarem solitárias. Em uma pesquisa realizada pela Pfizer Brasil, onde 989 pessoas com idades entre 18 e 61 anos responderam à diversas perguntas relacionadas aos maiores temores da idade avançada, o medo de ficar sozinho é um dos maiores. Ao todo, 57% dos entrevistados concordaram que a solidão está entre os principais medos do avanço da idade. Aqui, os jovens também parecem temer mais do que os …

Quando você percebe que está mais feliz sozinha

Vamos começar este texto e vamos ver se você vai conseguir termina-lo. Vai ser um pouco difícil de digeri-lo, se você se identificar com ele. Com um relacionamento que era seu ideal de vida, seu sonho, fazia parte de tudo o que você sonhava. E não era muito, o que você sonhava. Apenas ter um lugarzinho pra vocês morarem e uma relação saudável, com todos os ah e os ais, com as brigas e as reconciliações, com os erros, os acertos, os defeitos de um e de outro e as coisas maravilhosas de um e do outro – e a evolução, juntos e individualmente. Mas que por algum motivo, todo dia é uma batalha energética onde você sente todas as suas energias sugadas, como se alguém tivesse vindo com um canudinho e literalmente sugado toda sua luz. Você está opaca. Você está fraca. Você está triste. Provavelmente se não está em depressão, está caminhando pra uma. E é provável que eleja algum momento do seu dia para chorar, botar pra fora seu desespero e seu …

O que fazer com um coração devastado?

Minha flor de formosura. Eu sei o quanto você tem batalhado e dado seu melhor em tudo. Sei que mesmo nas vezes em que precisou enfrentar algum medo, alguma insegurança, algum paradigma aí dentro de você, você esteve firme e não desistiu ou enfraqueceu. E na maioria das vezes nem foi por sua causa, mas pra segurar a barra por alguém. Sei que muitas vezes você se colocou em segundo plano, para cuidar ou proteger alguém. E cedeu – ou, soube direitinho encontrar um meio termo. Ou ainda, esqueceu totalmente dos seus interesses e das suas necessidades colocando o outro em primeiro lugar, mulher é sempre assim. E também é assim que se faz nas relações humanas: Ou a gente cede, ou a gente encontra um meio termo. Porque quando a gente ama, a gente se doa por inteiro. E a gente ama, por inteiro. E ama cada pedacinho, cada detalhe, cada particularidade. Ama a camiseta podrinha que ele usava, ou o blusão fedido de ficar em casa. Ama a cara que ele fazia quando conseguia …

Esta rosa é pra você – e você merece!

Alguém, não importa quem e não importa quando, te fez acreditar em algum momento do seu caminho que você não é boa o suficiente ou que você não é merecedora de coisas boas, que as bênçãos que você vê as outras mulheres receberem não são pra você. Você pode ter sido convencida em algum momento de que coisas boas e lindas não são pra você. Que e a sua vida é uma vida de sacrifícios e de dureza, que sempre é tudo difícil- e que tem que ser assim. Que não te sobra tempo. E que todas as suas fraquezas, seus medos – ou mesmo a falta de fé – te fazem menor. Você pode ter sido convencida de que é inferior, de que não é digna, de que não é competente. Quando você se resignar com alguma coisa que não tem conseguido realizar, quando pensar lá no fundo, bem no fundo da sua alma – vai descobrir que você mesma acha que não é boa o suficiente, de que não é merecedora. Se você se diagnosticou …

Você tem se dedicado a quem é importante pra você?

Imagem: uma foto & um poema No ano passado perdi uma amiga, repentinamente. Precisei de várias semanas para me recuperar, assim como todos os que a amavam. No velório, também estava presente uma pessoa em comum, com quem tive um desafeto, uma briguinha. Mas que antes disso acontecer, eu igualmente adorava. Alguém que eu tinha muito afeto, assim como tinha pela outra. Duramente, ali, a que tinha ido me passou uma lição definitiva. Talvez, duas lições. Uma: diante da vida do jeito que ela é, onde qualquer um de nós pode não estar mais aqui a qualquer momento, se apegar a brigas e desafetos chega a ser ridículo. A gente precisa é perdoar e continuar. Amar, relevar. Entender. E a outra lição é cultivar os amigos e as pessoas queridas, pelo mesmo motivo. Escrever este texto é horrível pra mim, não gosto de falar sobre este assunto. Mas preciso. Pra gente começar a pensar nisso: o que está sendo mais importante do que a gente se dedicar a quem gosta? O que está vindo antes …