Relacionamentos
Deixe um comentário

Como superar uma separação

Eu sei que você está sofrendo porque achava que seu casamento seria pra vida toda. E provavelmente tinha sonhos como os meus, de envelhecer juntos, superar todo o tipo de problema juntos, de fazer projetos juntos. Isso é coisa de quem tem aptidão pra acreditar em família, em união pra sempre, em uma escolha pra vida toda. E nem dá pra tentar resumir tudo o que se sente nessa hora ou tentar explicar, porque é uma mistura de coisas, de sentimentos variados e tentar entendê-los é outra coisa que toma tempo e cansa.

Você está se sentindo fracassada, está pensando onde errou, onde poderia ter feito melhor. E pode ser que se dê conta que deu o melhor de si, que foi inteira em tudo, que foi leal, fiel, parceira, honesta, sincera – transparente. Dependendo do que aconteceu você vai sentir raiva, no meu caso: acreditei em tudo o que me foi dito, todos os dias, todas as horas, sempre acreditava no que me era dito como uma verdade. Até que de uma hora pra outra, tudo aquilo já não era mais verdade há tempos e eu fui literalmente a última a saber. Você pode se sentir traída mesmo que não tenha sido um caso de traição – se for do tipo que ainda acredita na palavra das pessoas, como eu. Pode ficar tentando achar culpados (em vão: as coisas não são tão simples assim). Vai ter uma fase em que você vai passar por cima do seu orgulho e dizer: vamos tentar de novo? Por que você não volta, podemos sentar, conversar e melhorar. Vai se decepcionar com a frieza da resposta, da falta de arriscar no que é simples: Simples assim. Porque pra gente as coisas são simples, o que precisa ser feito, a gente faz. O que precisa ser dito, a gente diz. O que precisa ser aprendido, a gente aprende. O que precisar ser esquecido, leve o tempo que for, a gente esquece.

Eu não sei o que aconteceu com você, mas sei que provavelmente você fez todo o esforço possível pelo seu relacionamento e, acredite em mim, não é sua culpa se ele terminou. Não é sua culpa se você esvaziou todo o seu coração e entregou todos os seus melhores sentimentos para a outra pessoa, sem medidas, e ele não entendeu, não sentiu, não soube reconhecer ou dar valor. E vai doer, porque dói pra caralho (e não há outra palavra), e demora pra passar. Você, guerreira que é, vai se apegar no seu trabalho, nos seus filhos (ou cachorros), na sua família, nos seus amigos… e quando chegar à noite ou o final de semana, vai chorar seu choro mais dolorido porque ele não está ali do seu lado.

E vai provavelmente ficar se perguntando como se consegue jogar fora uma história com tanta facilidade? Ou em que momento as coisas começaram a degringolar e você nem notou? E eu volto a dizer: não adianta chorar sobre o leite derramado. As pessoas simplesmente fazem o que elas acreditam que é certo (pra elas) naquele momento. Não adianta remoer e sofrer ainda mais. Não adianta tentar voltar. Não vai dar certo. Eu tentei, não deu certo. Então pula esta parte e não sofra ainda mais.

A primeira coisa que você precisa fazer é se apegar em quem ou no quê te dá forças. Família, Deus, amigos. Eu fiz tudo isso. Voltei a ir à missa todos os domingos. Procurei estar perto da família sempre que possível. Pedi colo quando precisei. E chorei, chorei, chorei. Chora mesmo, deixa doer, porque é como uma ferida: precisa pegar ar pra cicatrizar. Vai doer até criar a casquinha. Até o dia em que ela não estará mais lá (e este dia não vai ser tão rápido, é preciso ter consciência disso e paciência).

Ou seja, se a pessoa se separou de você e dois meses depois aparece com outra, vai por mim: azar o da outra. Mal deu tempo de ele fazer a mudança dele. Não existe isso, a menos que este relacionamento já venha acontecendo há um tempo (e aí estamos falando de falta de caráter – e você não merece gente assim do seu lado). Ninguém sai de um relacionamento de anos e dois meses depois já está pronto para outro relacionamento. Qualquer psicólogo ou psicóloga vai concordar com isso e ter consciência disso é sinal de bom senso e MATURIDADE.

Quando você se dá conta que no matter what, quem te ama de verdade sempre vai estar com você e o Cara Lá De Cima também, vem uma força que você nem sabe de onde, mas que você sabe que existe, porque você sente!!! E você vai precisar dela pra resolver a parte burocrática, que é mais chata.

Evite a todo custo um divórcio litigioso. Isso só faz doer ainda mais. Lembre-se de todo o caminho que já percorreram e que é perfeitamente possível resolver as coisas com respeito e carinho (ninguém deixa de sentir carinho pela pessoa que amou da noite pro dia). Se puderem usar o mesmo advogado (alguém em quem confiem), melhor. Evite a disputa. Evite o desgaste. No entanto, não abra mão dos seus direitos. E no dia de assinar o maledeto documento, vá altiva. Vista uma roupa bonita, se maquie, escute músicas alegres. Eu pedi pra minha mãe ir comigo. Se achar que não vai aguentar ir sozinha, peça pra um irmão, amigo ou alguém da família te acompanhar.

Evite chorar na frente da cartorária…!!!! Eu chorei – MUITO – quando cheguei em casa. Mas jamais faria isso na frente do advogado e da cartorária. Ninguém ali tem culpa do que está acontecendo. Vá preparada. Ela vai ler em voz alta toda a papelada e vai perguntar se vocês têm certeza do que estão fazendo e se seu ex for tão decidido quanto o meu, ele vai responder prontamente e em voz altíssima que SIM.

Então você precisa entender que agora é um recomeço. Uma nova chance. Uma nova vida. E que nada acontece por acaso. E que você pode ser a sua melhor versão, a partir de agora. Pode usar este tempo sozinha para redescobrir a si mesma. Pra fazer as coisas que gosta e nunca tinha conseguido fazer até então. Pra chamar quem quiser pra sua casa ou ir visitar quem quiser e chegar a hora que quiser. Pra fazer uma viagem, um curso de algo que te interesse, pra adotar um cachorro, uma criança, aprender a cuidar de um jardim (e definitivamente do seu jardim), e quem sabe até superar um desafio?

Por exemplo: eu odeio dirigir em São Paulo. E uma das minhas metas é conquistar minha independência pra eu poder ir e vir quando e pra onde eu quiser. Do que você tem medo? Que tal enfrenta-lo? Depois de superar uma separação, você verá que poucas coisas te assustarão mais do que isso.

Dia após dia, você vai perceber que esta nova vida está até interessante e que a felicidade só depende de você, ela é uma escolha. Espante a melancolia fazendo coisas agradáveis, alegres e estando em companhia de gente que te põe pra cima. Seja grata por tudo o que conquistou, pelo que ainda pode conquistar, por tudo o que você aprendeu, por quem você é. Lembre-se de que há dores mais profundas, há problemas mais graves – e irreversíveis.

Parece o fim do mundo, mas eu vou te contar uma coisa: Deus não está nem aí pra o que foi dito no altar, quando duas pessoas estão sofrendo, fazendo mal um para outra, quando não está dando certo. Ele quer é te ver feliz, esta é a maior verdade: que o amor de DEUS por nós está ACIMA de qualquer coisa. Ele quer que você encontre aquela pessoa que está rezando pra encontrar alguém como você e que vai te dar valor quando te encontrar.

Alguém que vai te conhecer até debaixo d´água. Alguém que vai amar suas qualidades e seus defeitos. Que vai ter maturidade durante as discussões e desafios de uma vida a dois. Alguém que tenha a mesma aptidão que você tem em fazer o que for preciso para que o relacionamento seja, sim, para a vida toda. Alguém que vai te merecer. Porque você é especial, é uma grande guerreira, uma grande mulher. E tem um monte de gente aí fora que daria tudo pra encontrar uma pessoa assim: leal, forte, agradável, bonita, generosa, parceira, guerreira, sincera e sensível – como você é.

Se a gente soubesse realmente se amar, provavelmente a iniciativa teria sido nossa, lá pela terceira tentativa, pelo terceiro sacrifício, pela terceira vez em que concedemos algo, que abrimos mão de algo por esta outra pessoa – sem retorno. Mas acontece que a mulher veio com esta capacidade infinita de abnegação… portanto, agora é hora de você aprender a se amar e se respeitar de verdade. Você precisa disso para não sofrer de novo no futuro. Aí, não importa o quanto tempo leve, ninguém mais vai se aproximar de você pra lhe fazer mal, sem sua permissão.

O que fazer com o amor que sentia? Continue amando. Sim, continue amando e deseje que esta pessoa seja genuinamente feliz. Com que for, onde for, como for. Que ele possa realmente encontrar a felicidade que deseja, que possa ser quem deseja. Que possam ser amigos, um dia. Que possam sempre contar um com o outro. O amor de verdade é isso. É renúncia. E dói. Mas não sentir nada e não amar, é muito pior. Portanto: seja quem ama. Seja quem perdoa. Seja quem vai estar sempre lá quando a outra pessoa precisar.

Mas seja boa pra você também.

Sua lição de casa: olhe-se no espelho e veja que pessoa formidável você é. Faça uma lista de coisas que quer fazer, lugares que quer conhecer, pessoas a quem visitar. Trabalhos e causas em que acredita. Livros pra ler, novos shows pra ver. Vista seu melhor sorriso. Vista uma roupa que se sinta bonita e então,

Vire a página, definitivamente.

Este post foi publicado em: Relacionamentos
Etiquetado como:

por

Sou a Melissa, paulistana, administradora por formação - mas é quando estou fotografando e escrevendo que estou sendo quem eu quero ser. ♥

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s