Relacionamentos
Comentários 4

O que fazer com um coração devastado?

Minha flor de formosura. Eu sei o quanto você tem batalhado e dado seu melhor em tudo. Sei que mesmo nas vezes em que precisou enfrentar algum medo, alguma insegurança, algum paradigma aí dentro de você, você esteve firme e não desistiu ou enfraqueceu. E na maioria das vezes nem foi por sua causa, mas pra segurar a barra por alguém. Sei que muitas vezes você se colocou em segundo plano, para cuidar ou proteger alguém. E cedeu – ou, soube direitinho encontrar um meio termo. Ou ainda, esqueceu totalmente dos seus interesses e das suas necessidades colocando o outro em primeiro lugar, mulher é sempre assim. E também é assim que se faz nas relações humanas: Ou a gente cede, ou a gente encontra um meio termo. Porque quando a gente ama, a gente se doa por inteiro. E a gente ama, por inteiro. E ama cada pedacinho, cada detalhe, cada particularidade. Ama a camiseta podrinha que ele usava, ou o blusão fedido de ficar em casa. Ama a cara que ele fazia quando conseguia matar o mosquito. Ama a cara amassada de manhã. Ama o jeito dele encher o frango grelhado com cebolas. Ama o jeito dele reclamar toda hora que está com gases ou com enxaqueca. E as irritaçõezinhas vão tornando parte do nosso dia a dia, da nossa vida, parte da gente. Então você ama aquela pessoa que muda toda hora de opinião sobre as coisas de comer, uma hora ele quer proteína, outra hora ele faz jejum intermitente, outra hora ele corta o glúten e a lactose, outra hora ele vira vegano. E daí? Foda-se, você ama e pronto.

Mas aí, um dia qualquer, mais um dia que seguiu no calendário, um dia que era pra ser normal, ele ou ela se levanta e diz que vai embora. Que não está feliz. Que tentou. Você fica se perguntando tentou o quê, que eu não estava sabendo? O que estava incomodando, que eu nem soube direito? Você tenta se comunicar e de nada adianta. Tenta entender e quanto mais tenta, menos entende. E esta provavelmente vai ser a primeira luta da tua vida que você vai perder. Porque essa não é uma cruz sua. A sua, você sabe que sempre vai conseguir carregar, não importa se ela é muito pesada ou absurdamente pesada. Mas quando a história envolve outra pessoa, a história é dela, a cruz é dela, o destino é dela e a escolha é dela também. E tudo o que você pode fazer é deixar ir. Você já deixou?

Então, se deixou, você provavelmente está se dando conta do quanto se perdeu de si mesma neste tempo todo em que foi casal. As unhas quebradas, o rosto de cara lavada, os amigos que nunca mais ligou nem mandou e-mail. Os lugares que você queria ir e não podia. Os seus desejos pra este ano, que provavelmente incluía esta outra pessoa também. Você olha em volta e sente um vazio, nas pequenas coisas. No café que você nunca tomava sozinha. Na hora de ficar com preguiça de cozinhar e repassar a tarefa. Na hora de terceirizar a responsabilidade de escolher um filme no Netflix. Na hora de ter um colo pra deitar sua cabeça ou de fazer carinho na nuca dele (a), ali ao seu lado. Na hora de pedir pra ele (a) se levantar pra ver se a porta da sala está fechada ou de guardar a comida que você esqueceu ou de pegar papel higiênico ou a sua toalha de banho. Na hora de escutar ou ter alguém pra ouvir o que você dizia. Ou pra não dizer nada e ficar tudo bem mesmo assim. Ou de simplesmente ter pra quem olhar, enquanto esta pessoa fazia outra coisa e nem percebia que você o (a) observava. Provavelmente você pensou assim: eu te amo e sou grata porque tenho você.

Veja como a vida pode mudar toda a história de um dia pro outro. E veja como vai ter vezes que não poderemos fazer absolutamente nada. Nada, a não ser cuidar do seu coração, este coração devastado, incompreendido, insondado. Só Deus sabe o que se passa no seu coração. Então agora, cuide dele. Cuide de você, em primeiro lugar. Cuide de você com o mesmo cuidado e carinho com que você cuidava da outra pessoa. Se olhe com a mesma generosidade e complacência. Há coisas na vida com as quais nós devemos aprender a enfrentar com resignação e resiliência. Não dá pra garantir que tudo vá sair como você deseja, quando envolve uma outra pessoa. O que dá pra garantir é que nada neste mundo vá fazer com que você perca seu amor à vida, sua felicidade própria, sua luz genuína, seu sorriso, o brilho nos seus olhos e sua capacidade infinita de dar amor, sempre.

Como cuidar do seu coração devastado? Primeiro: Chore. Chore mesmo. O quanto precisar. Mas guarde sua dor pra você. Viva isso em silêncio. E vá curando seu coração devagarinho fazendo as coisas que gosta, estando com quem gosta, fazendo comidinhas gostosas, carinhos nos seus cachorros (ou filhos, ou ambos), passeios ao ar livre, música boa, orações e muito carinho consigo. No mais, minha flor de formosura, é com o tempo. E acredite, ele sempre vai ter uma boa história pra contar (sobre você).

Foto: Cecília Lima, por Mel Sliominas Imagery.

4 comentários

    • Melissa {Mel} diz

      Olá! Você é linda e especial para Deus. Está aqui por um motivo especial. Nunca esqueça disso! Deixe o passado para trás e aceite a felicidade que Ele reservou pra você. Se ame, se cuide e tudo mais vai entrar nos eixos, com calma e serenidade. Força e luz!
      Equipe Lady Busy Bee

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s