Estilo de Vida
Comentários 2

8 maneiras de driblar a ansiedade

Seria muito bom se nós tivéssemos um botão de liga/desliga em nosso corpo, se nós tivéssemos controle sobre ele e sobre nossas emoções. Muito sofrimento seria evitado, muito mal estar, muitas somatizações. Mas fato é que nós não temos este botão e muitas das vezes tentamos em vão controlar algum sentimento que nos causa desconforto. Principalmente nas grandes cidades, nós não temos tido tempo para olharmos pra dentro, pra nos auto-diagnosticarmos (que é coisa de autoconhecimento) e pra nos cuidarmos. Uma espécie de salve-se quem puder, é o que nós vivemos, tentando nos equilibrar entre nossas várias responsabilidades, driblando os obstáculos de fora e os de dentro. A ansiedade é uma destas coisas. Se não diagnosticada e controlada, ela pode nos conduzir a problemas sérios, como a síndrome do pânico ou outros transtornos. Quando a história avança para este nível mais sério, só um profissional vai poder nos ajudar. Mas enquanto a ansiedade e o estresse ainda são apenas sintomas parte do nosso dia-a-dia profissional, por exemplo, há algumas técnicas que podemos utilizar a nosso favor. O autoconhecimento é a primeira delas.

Se não diagnosticada e controlada, a ansiedade pode nos conduzir a problemas sérios, como a síndrome do pânico ou outros transtornos.

Conhecendo-se você passa a conhecer também, os seus limites e como a ansiedade e o estresse se manifestam no seu corpo. Em mim que estou escrevendo, por exemplo, sei que a ansiedade me deixa com a respiração curta (ofegante), mordo os lábios, balanço as pernas – isso nos casos mais leves. Mas já foi bem diferente!

Síndrome do Pânico

Aos 22 anos eu tive a primeira crise de falta de ar ocasionada pela ansiedade. Achei que fosse morrer. E a partir dali fiquei com medo do que fosse acontecer comigo, o que me gerou uma crise de pânico. Em outra ocasião, os músculos da minha coluna cervical estavam tão rígidos e tensos, que as veias que passavam ali e estavam tensionadas faziam a dor irradiar na minha cabeça em formas de pontadas. Eu tinha certeza de que estava com um problema sério na cabeça. Fui a um médico, que me examinou e já sacou o que eu tinha. Eu também: Na sala de espera havia uma revista e a Síndrome do Pânico era a matéria de capa. Eu tinha todos os sintomas. Eu entendi ali o que eu tinha e tratei de me cuidar bem. Eu pensei: “Está tudo dentro da minha cabeça”. Na saída do consultório fui cortar o cabelo. A água morninha, alguém massageando a minha cabeça… os sintomas naquele momento melhoraram na hora. A partir de então eu passei a me observar e porque me conhecia bem eu entendia o que a ansiedade fazia comigo. O que eu aprendi a fazer um pouco mais tarde é como fazer para evitá-la ou para lidar com ela!

Conhecendo-se você passa a conhecer também, os seus limites e como a ansiedade e o estresse se manifestam no seu corpo.

O que funciona comigo certamente funcionará com você! Mas a primeira lição é:

  1. Observe-se!

_mg_9960-color

Quando você se conhece, você sabe onde precisa ficar alerta e o que são sintomas que brotam do seu nervosismo. Você se conhece e você sabe lidar com estes sintomas, porque sabe detecta-los. Você tem paciência e tranquilidade para cuidar de si mesma. Mas nada disso é possível se você não se conhecer. Por mais difícil que seja, preste atenção em você. Não deixe o barulho do mundo te distrair do seu eixo.

2. Converse com outras pessoas sobre o que te angustia.

Home is wherever I´m with you
Não faz bem remoer sentimentos. Não faz bem e não tem utilidade nenhuma guardar para si coisas que precisam ser ditas ou esclarecidas. Ainda assim, conversar com alguém em quem você confia pode aliviar e muito seu desconforto emocional. A visão e as opiniões de fora podem nos fazer enxergar algo que não estamos conseguindo.

3. Não sofra por antecipação!

Sinos
Há duas opções para nossas preocupações. Ou elas são reais ou não são. Procure verificar se seu medo é real ou fantasioso. Se trata-se de uma certeza ou uma possibilidade. Após uma biópsia feita na ginecologista em um exame, estive praticamente um mês em pânico até encontrar o diagnóstico de cervicite. Nem tudo é o que parece. Não sofra antes. Viva um dia de cada vez.

4. Respire e expire profundamente.

_mg_6234

Respirar e expirar lentamente contando até 8, por 5 vezes, já faz a gente se sentir mais leves. Se você estiver em um lugar calmo onde possa se sentar com a coluna ereta, fechar os olhos e prestar a atenção apenas em sua respiração, terá resultados ainda melhores. A respiração pode ser feita no trajeto até o trabalho, no toalete, antes de dormir, no consultório médico. A meditação, se feita com regularidade, vai te trazer resultados mais efetivos. Seja como for, é importante respirar corretamente. Quando estamos ansiosas, a respiração é a primeira a ser afetada.

5. Escutar música boa

Headphones

Se você não sabe o que uma boa música pode fazer com você, é porque nunca escutou esta aqui (obrigada Alana!).

Se quiser outras idéias, siga minha Happy List no Spotify (Só vai funcionar se você estiver logado).

6. Faça um trabalho voluntário

Australian volunteer Tanya McQueen worked as a Rural Women's Program Adviser in Afghanistan, 2003. Photo: Tanya McQueen, AVI / AusAID

Image source

Todos nós sabemos o quanto nos faz bem fazer o bem a alguém! Doar nosso tempo em benefício de outras pessoas serve recarrega nossas energias e encher nosso coração de paz e de gratidão. É uma troca que esvazia todo o desconforto emocional que estivermos sentido. Nós já ouvimos por aí que é preciso estar inteiro para poder ajudar alguém, mas penso que neste contexto, por vezes o que nos falta é o contato fraternal com outras pessoas.

7. Uma xícara de chá e um bom livro 

156/365 - One pleasant evening

Image Source

Tomar um chá de erva cidreira (funciona à beça comigo), de Melissa ou Camomila e mergulhar em uma boa leitura pode fazer você se desligar por um instante do que está se preocupando. Aqui, o que vai te ajudar é manter o foco na história e deixar sua imaginação livre, distanciando-se de qualquer coisa que possa te interromper. Escolha o canto mais sossegado da casa ou vá até um jardim e esqueça do mundo. Permita-se!

8. Fuja do barulho! 

field daisies

Image Source

O silêncio proporcionado por estar em meio à natureza é um santo remédio para aquietar nosso espírito. É por isso que muita gente que mora nas grandes cidades buscam tantas vezes a paz que só o mato proporciona! 😉 (Se você estiver no escritório, uma pracinha resolve!).

Outras dicas:

Olhar para bebês, fazer uma automassagem, orações, cantos gregorianos, comer um doce (só um!), fazer exercícios físicos, namorar, chamegar, dar e pedir cafunés, brincar com o cachorro, ficar perto das pessoas queridas: família, amigos, gente que decididamente vai elevar seu astral, te fazer rir e esquecer de tudo o que estiver te preocupando, te deixando estressada ou ansiosa por algum motivo.

Você tem alguma dica pra compartilhar? Escreva nos comentários!

 

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s